Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Saber Viver Cardiologia

Saber Viver Cardiologia

15
Fev12

Ponto final

Prof. Manuel Carrageta

Este blog vai deixar de ser atualizado. Pode, no entanto, continuar a utilizá-lo para consulta, uma vez que o seu problema pode ser um dos muitos abordados neste consultório.

Se tiver alguma questão relacionada com esta especialidade médica, pode enviar-nos um e-mail para consultorio.saberviver@plotcontent.com e procuraremos dar-lhe resposta na edição em papel da revista saber viver.

Pode continuar a consultar artigos e notícias sobre esta temática na revista saber viver, no Sapo Mulher em http://mulher.sapo.pt/bem-estar/saude e no Sapo Saúde em http://saude.sapo.pt.

23
Mai11

Travar a aterosclerose

Prof. Manuel Carrageta

 

O meu pai tem 63 anos, está reformado e tem uma vida sedentária. Não é obeso, mas tem hipertensão e sempre teve tendência para abusar de alimentos pouco saudáveis, como as carnes e enchidos. Recentemente, foi-lhe diagnosticada aterosclerose. Que tipo de alimentação deve ter para evitar possíveis consequências deste problema?

 

 

21
Mar11

Estilo de vida pós-enfarte

Prof. Manuel Carrageta

 

O meu pai tem 69 anos e vários problemas de saúde, entre os quais problemas cardíacos, diabetes e colesterol elevado. Há cerca de 12 anos teve um enfarte do miocárdio, depois disso fez um cateterismo e passado uns tempos fez um bypass e melhorou muito. Ao fim destes anos voltou a acontecer um novo enfarte, após o qual fez um novo cateterismo. Segundo o que nos foi dito, cirurgicamente, não há nada a fazer a não ser medicação. Durante as visitas noto que o meu pai está muito sonolento e perde completamente o sentido das coisas. Não há mesmo nada a fazer para melhorar o estado do meu pai?

28
Jan11

Dor no peito

Prof. Manuel Carrageta

 

Tenho andado um pouco preocupado com uma dor no peito que me aparece em situações inesperadas. Faço desporto desde jovem, não fumo (nem nunca fumei), tenho uma alimentação saudável e nunca tive stress ou problemas psicológicos. Sinto esta dor aguda no peito do lado esquerdo, que dói excessivamente quando tento respirar fundo e não me deixa respirar mais do que até um certo nível. Aparece repentinamente, dura uns segundos e desaparece após alguns movimentos de alongamento com o braço esquerdo. Tenho também com frequência uma sensação de respiração incompleta, levando a bocejos repetidos até finalmente sentir que tenho a quantidade de ar desejada no pulmão. Há uns anos, quando comecei a sentir a dor, fiz um electrocardiograma, mas não detectou nada. Hoje, senti a dor no ginásio ao fazer corrida. Foi a primeira vez que surgiu na prática exercício físico. O que poderá ser?

 


23
Ago10

Tensão alta

Prof. Manuel Carrageta

Numa noite, acordei muito aflita sem perceber o que se estava a passar. Levantei-me, medi a tensão arterial e estava com 160/91. Comecei a transpirar e o meu marido chamou uma ambulância que me levou para o hospital, tendo chegado lá com 110/70. Isto aconteceu nos dois meses seguintes, até que fui a um cardiologista. Fiz exames e, segundo o médico, tenho um coração excelente.
Porque continuo a ter noites em que acordo com a tensão alta? Tenho 62 anos.

 

23
Jul10

Problema congénito

Prof. Manuel Carrageta

Sou uma rapariga de 24 anos e, em exames de rotina, descobri que tenho um problema no coração desde nascença. Em todos os electrocardiogramas que realizei nunca foi detectado, assim como em provas de esforço. Agora fiz um ecocardiograma e detectaram uma discreta ressurgitação mitral. Nunca tive sintomas, pratiquei atletismo dos 11 aos 16 anos; jogo futsal há três anos e nunca senti nada fora do normal. A minha questão é: que implicações tem essa discreta ressurgitação mitral, tanto agora como daqui a alguns anos? Adoro o futsal e não queria deixar de praticar desporto. 

11
Fev10

Ansiedade e coração

Prof. Manuel Carrageta

Tenho 29 anos e, desde que me lembro, sou uma pessoa muito ansiosa. Aos 18 anos fiz o meu primeiro electrocardiograma que revelou uma taquicardia sinusal derivada, provavelmente, da depressão que estava a ter. Acontece que a intensidade e frequência dos sintomas têm aumentado e já fiz ecocardiogramas que revelaram arritmia moderada e provas de esforço sem nada significativo. Será que posso desenvolver uma doença cardíaca grave derivada da extrema ansiedade em que vivo? 

06
Ago09

Tensão arterial da bata branca

Prof. Manuel Carrageta

Tenho 69 anos, não fumo e não bebo. Levo uma vida regrada com uma alimentação à base de peixe, legumes e muita fruta. Pratico exercício fisico, jogando ténis três vezes por semana, num total de seis horas. Mas sempre que consulto um médico, e este me mede a tensão arterial, fico de tal modo alarmado que a tensão apresenta números na ordem dos 18/10. Todavia, quando em minha casa efectuo essa medição, no aparelho que possuo, os valores situam-se sempre, ao longo do dia e de semanas, na ordem dos 13/8. Será que a minha tensão arterial é normal e a chamada tensão arterial da bata branca é de desprezar?

27
Jun08

Dor no peito

Prof. Manuel Carrageta

 

Sou uma jovem mulher de 30 anos, fumo cerca de dez cigarros por dia, tomo a pílula Diane 35 e tenho história de doença cardiovascular na família (pai). No outro dia após o jantar enquanto conversava tive uma dor muito intensa nas costas e no peito do lado esquerdo, fiquei imóvel e doía muito quando tentava respirar fundo, a dor manteve-se muito aguda durante uns trinta minutos, tentei fazer alguns movimentos com o braço e sentia que me estavam a espetar e amachucar por dentro. Será sintoma de um problema grave? O que devo fazer?

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Saber Viver deste mês

Links

Ligações

Arquivo

  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2011
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2010
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2009
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2008
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2007
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D